Chomp! Peixe com alcachofra e Biscoitos de pasta de amendoim

Domingo passado passei o dia de um jeito favorito, com a barriga no fogão. Cozinhando guloseimas pra semana, já que estou retomando meu projeto de perda de peso que foi interrompido na viagem pro Brasil em Abril.

Desde então teve Itália e Bélgica e várias escapolidas, e eu até tentei ir só na base de comer comidas rotuladas como mais light ou do vigilantes do peso e adicionar a academia, mas para minha surpresa, engordei! Então começo de novo a dieta South Beach, que já comentei quando dei a receita do Muffin aqui. Infelizmente ganhei peso de novo, e agora voltei pra uma meta de perder 11Kg, dos quais seria bacana perder 5 até Dezembro, vamos ver se rola. Tenho um outro blog que serve mais como diário do que estou comendo e como estou me exercitando e o progresso da dieta, quem não tiver ainda e quiser, só me pedir aí nos comentários.

Domingo cozinhei muffins (uma receita diferente da outra), biscoitos de pasta de amendoim, waffles e um cheesecake. Tudo sem farinha branca e sem açúcar. Por hoje, vou dividir hoje a receita dos biscoitos e de um peixe que fizemos a semana passada, super simples e rápido, foi ideal pro almoço!

Ambas Receitas do Livro South Beach – Receitas Fáceis e Rápidas (mas essa versão daqui) .

Peixe com alcachofra

Por porção (excluindo a salada) : 250 cal.
Nice and light
Nice and light

Bonito até mesmo antes de cozinhar

Nice and light
Nice and light

E mais bonito ainda no prato

O que precisa?

Para 4 porções

750 Gramas de lombo de bacalhau (ou qq peixe branco)

1,5 colher de sopa de azeite de oliva

1 colher de manjericão seco

300 gramas de alcachofra em conserva (no óleo mesmo)

Como faz?

Pré-aqueça o forno em 230 graus (fogo alto!). Coloque o bacalhau em uma forma ou travessa, pincele com o óleo de oliva, espalhe o manjericão e tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Coloque os pedaços de alcachofra ao redor do peixe e regue com o líquido da conserva (eu usei um garfo pra fazer isso pra não ir muito óleo). Asse até o peixe ficar opaco e se desfaça com o garfo, entre 12 e 14 minutes. Tire do forno e sirva ainda quente.

Servi com uma saladinha bem temperada e as alcachofras ficam torradinhas, de dar água na boca!!

Biscoito de pasta de amendoim (sem farinha branca e sem açúcar)

Por porção de 2: 140 cal.

peanutbuttercookies
peanutbuttercookies
O que precisa?

Para 24 biscoitos

180 mL de adoçante em pó

1 ovo grande

1 colher de chá de essência de baunilha

240 mL (ou 6 colheres de sopa) de pasta de amendoim sem sal e sem açucar, se possível sem óleo de palma ou qq outra gordura adicionada artificialmente

1 colher de chá de fermento

Geléia diet para a cobertura.

Como faz?

Pré-aqueça o forno em 180 graus (fogo médio-alto!). Cubra uma travessa rasa com papel vegetal manteiga (aquele específico pra cozinhar, alguém tem um nome melhor em português? :-/  ).

Bata na intensidade média (ou use o mix) o adoçante, ovo e essência de baunilha. Até você perceber que está cremoso. Adicione a pasta de amendoim e o fermento. Bata de novo até você perceber que está tudo misturado, uns 30 segundos. (Fica que nem na primeira foto aí do lado).  Faça bolinhas (com 2 colheres de chá da massa) com a mão pressionando bem forte – eu também aperto a massa na tigela onde bati os igredientes, fica mais fácil. Coloque as bolinhas na forma, e faça os furinhos com o cabo de uma colherzinha. Coloque a geléia nos furinhos. Asse por 12 a 14 minutes, até que você consiga ver que a base dos biscoitos estão mais marrom. Não se preocupe se estiver “espumando” como na foto com a setinha, é normal! Coloque em uma grade para esfriar.

Depois só colocar em algum lugar com cuidado, eles são bem delicados e se desfazem fácil. Na dieta, só pode porção de 2 por dia, mas é difícil conter viu? (Tenho comido 3 quando faço exercício, um de prêmio! =P~ )

NomNomPeanom
NomNomPeanom

Até Mr. W que detesta pasta de amendoim lambe os dedos depois dos biscoitos.

Como de costume, me avisem se tentarem ou se precisarem de alguma coisa que não ficou claro :)

0 clique(s)

Li e aprendi: Foi apenas um sonho

Revolutionary Road
Revolutionary Road
Ok, tô devendo o relato da viagem pra Sorrento, mas enquanto não dá tempo, fica o relatório do livro que li (aliás praticamente engoli) durante os 5 dias de férias ouvindo o barulhinho do mar e fugindo do Sol :)

Primeiro o resumo de livrarias, pra saber sobre o que a história fala: Foi apenas um sonho (Richard Yates) conta a história de Frank e April Wheeler, um casal talentoso e jovem que, acredita ter toda a vida diante de si e que o sucesso há de chegar a qualquer momento. Mas, à medida que os anos passam, eles vão mergulhando num mundo de intrigas e frustrações, e só uma grande guinada poderá alterar seu destino. Em 2009, chegou às telas do cinema, com Leonardo DiCaprio e Kate Winslet como protagonistas.

Em que língua eu li? Na original, em inglês. O título original? Revolutionary Road (não gostei do título português, teria deixado como o nome da rua onde moravam mesmo).

A experiência da leitura: Na verdade o fato de que o livro virou um filme tão bem criticado, me deixou curiosa. Sempre gosto de ler os livros antes de ver o filme, e quando vi esse na baciada para comprar por £5 peguei sem nem pensar. A Katie é uma das minhas atrizes (e celebridades) favoritas, a Qris assistiu o filme e disse que era bom, não podia deixar passar.  Mas confesso que saber como os personagens se parecem antes de ler o livro tira um pouco a graça e às vezes até me irritou. Ou acabava indo e voltando enquanto imaginava o que lia entre os personagens que criei na cabeça e os atores do filme (ainda bem que só sabia os principais).

Tirando isso, o livro começa devagar, até meio tedioso. Tive que me forçar a continuar, afinal um texto com tantas aclamações não poderia ser tão moroso. E valeu muito a pena. A história começou a me envolver, e as emoções que os personagens viviam mexiam comigo também. Apertos no coração, nó na garganta, e uma identificação de que qualquer um poderia estar na pele deles.

O livro é realmente MUITO bem escrito, os conflitos e revoltas dos anos 50 tão atuais ainda no segundo milênio, me impressionaram mas me deixaram meio deseperançosa, não aprendemos *nada* durante todo esse tempo? Mas conforme ia lendo o livro, também me peguei percebendo que muitas coisas mudaram, muitos preconceitos caíram e a esperança foi reinstaurada :-D

Me identifiquei e identifiquei tantas outras pessoas ao meu redor com Frank e April e seus idealismos… Com essa vontade enorme de querer mudar o mundo. Com o amor tão grande que vai e volta, cresce e diminui e cresce… Com tanta gente que dá uma (ou vive anos planjando) reviravolta na vida em busca da realização dos sonhos e dos desejos que parecem ser maior que a gente e…

…Mas não posso ir muito a fundo, pra não estragar a história pra quem não leu ainda. Se vocês lerem e quiserem discutir, me avisem, abrirei um post em separado para termos uma conversa à parte.

E pra acabar, quantas estrelas leva o livro? 5 de 5, claro!

Claro! O livro é forte, com uma mensagem profunda e recomendo todos a lerem e tirarem suas conclusões.

P.S.: Coloquei uma listinha dos próximos relatórios que vocês devem ver aqui na minha fila de posts com os livros que li e ainda não comentei. O livro que está na beira da cama agora? O símbolo perdido (Dan Brown). Tô gostando, mas está me enjoando um pouco, mas uma vez que se começa Dan Brown, é díficil de parar sem terminar hein? /:)

0 clique(s)