Dá me um cornetto – O retorno

Esse post foi lido 5102 vezes.

Antes tarde do que nunca é o meu lema dos relatos de viagem, e esse estava quebrando o recorde.
A nossa segunda viagem pra Itália aconteceu em Agosto do ano passado, por questões de plantão no serviço, compromissos de trabalho de Mr.W e que a alta temporada terminava justamente depois do feriadão de Verão, fomos na quarta e voltamos no domingo – depois do feriado.

A idéia era ir pra Costa Amalfitana, mas os preços da costa não valiam a pena, e decidimos ir pra área de Sorrento, que ficava mais perto de Pompéia.

Saímos de avião (British Airways) de Londres pra Nápoles na manhãzinha da sexta. Chegamos quase na hora do almoço e fomos pegar o carro de aluguel. Nos perdermos pra achar onde é que pegava a Van pro local onde pegaríamos o carro. As explicações eram desconectas, confusas e o calor imenso os deixou meio de pávio-curto já de começo. Mas no meio dos dois perdidos, conseguimos pegar a van, fomos pro local pegar o carro, e uma vez o ar condicionado ligado, estávamos na maior paz a caminho do hotel.

Decidimos nem parar em Nápoles dessa vez. Sabemos que a cidade é imensa, tem muitos museus bacanas, e precisaríamos de mais tempo pra fazer direito, então pra não fazermos meia-boca e não atrapalhar o resto do passeio, fomos direto pra Castellammare di Stabi, um vilarejo que fica entre Pompéia e Sorrento.

Chegamos, pedimos um almoço no quarto mesmo, abrimos as janelas (o ar condicionado não estava ligado ainda), trocamos de roupa e fomos pra varanda, curtir a brisa e a vista do Monte Vesúvios. Mr. W pediu um espaguete à bolonhesa, eu pedi um escalope de frango à milanesa com fritas. Não estava maravilhoso mas foi razoável. Os bolos e sobremesas estavam excelentes e esses sim valeram a pena. Depois disso, descansamos na suíte e descemos pra piscina pegar o finzinho de tarde, ver o pôr do Sol que nos presenteou durante todos os dias.

(Clique na foto para ver maior)

No segundo dia, já decidimos ir pra Pompéia, pra aproveitar o dia maravilhoso. Todas as dicas diziam pra ir cedinho, pra evitarmos a multidão de turistas e aproveitarmos tudo que Pompéia tem pra mostrar. Ver Pompéia era um dos meus desejos de viagem. Ainda me lembro das aulas de História e a professora Marina ^:)^  nos encantando com os acontecimentos, nos impressionando e nos fascinando de como o ser humano já enfrentou tanta coisa em sua jornada. A sensação de estar ali, onde antes só estive através de fotos dos livros, e assistindo documentários na TV, me vez voltar pras mesas do Recanto, as orelhas de pé, ouvindo e prestando atenção, fazendo anotações nas bordas das páginas do livro de capa marrom pra lembrar no dia da prova – como se precisasse. Aulas de história eram das minhas preferidas (e o assunto ainda me encanta) lembrar no dia da prova, era fácil. Me fez lembrar de como me senti no Egito uns anos atrás. Essa sensação no peito de estar em outro mundo, dentro dos livros, dentro da TV. De admirar o ser humano em sua magnitude, suas vitórias e suas derrotas.


No terceiro dia íamos pra Capri, e até pegamos a Van pra Sorrento, mas perdemos o horário da balsa. Mr.W também estava meio ruim do dia anterior (muito Sol, muito tempo sem comer dentro de Pompéia) , resolvemos passear por Sorrento mesmo, já que também era uma das coisas que planejamos fazer. Caminhamos quase a cidade toda, e em umas 3 horas estávamos de volta no hotel. Pra descasarmos, lermos nossos livros (foi quando terminei o “Foi apenas um sonho“), aproveitarmos a piscina, a praia “particular” e ficar de bem com a vida  B-)

No quarto dia conseguimos acordar mais cedo e irmos pra Capri. Uma ilha linda, mas que os 40 minutos de subida íngrime, com o Solzão na fuça  ~x( meio que fez o encanto se perder, infelizmente. Não fiz a lição de casa direitinho e deixei o micro ônibus, o teleférico e o taxi “conversível” que nos levaria para o topo passarem batido – só descobri que poderia tê-los utilizado no fim do passeio. Achamos que a caminhada seria fácil, mas como os dois são meio alérgicos ao calor, acabou estragando um pouco o passeio. Tenho certeza de que se tívessemos subido de transporte teria sido mais aproveitado. Mas a maneira de ir à Capri, seria em estilo mesmo pra dizer a verdade. Ficar em um dos hotéis de luxo, à beira da piscina e ar condicionado. Ou então, se você puder mais ainda, comprar uma casinha de final de semana na vizinhança ou ancorar seu yatch na beira do mar por ali, daí não tem erro  /:) #sarcastica
Na volta paramos em Sorrento para almoçar e tomar o sorvete (que de Cornetto só a casquinha de biscoito) Italiano de prache, e dar a última volta na cidade.

E no quinto dia madrugamos pra pegarmos o avião de volta. A Itália mais uma vez mexeu com meu coração, deixou saudades grandes e com gostinho de quero mais. Com certeza voltaremos, meio ainda sem saber pra qual destino.

Mas o dinheiro tá curto ou as férias escassas? Quer conhecer Sorrento sem sair de casa? Graças ao Street Map, agora dá, clique aqui e saia passeando por lá

E até dá pra fazer Capri sem a ladeira, mas não dá pra ir nos lugares mais legais. Tá curioso/a mesmo assim? Clica aqui.

Como de costume, dicas práticas e mais informações, aqui ó.
Pra ver todas as fotos que saíram da máquina pro flickr, só clicar aqui ó.

0 clique(s)

10 comments to Dá me um cornetto – O retorno

  • A Itália é demais mesmo, né? Fiquei com invejinha de Pompéia. :-)

  • Entrei ontem aqui e fiquei paquerando as fotos dessa viagem maravilhosa, hoje voltei pra comentar pq o pc tinha travado antes que eu comentasse.

    Como sempre digo, dá pra viajar junto só olhando essas fotos. que lugar lindo demaissssssssssssssssssssssss!!!!!!

    • L.

      Awn brigada Lee! Sempre bom ajudar todo mundo a viajar comigo! E com certeza voltarei para viajar de novo daqui uns anos quando tiver esquecido um pouco os detalhes ;) Beijos!

  • Pai coruja

    Muito lindo………..

    Belas fotos………..

    Ruas lembrando Bragança…………

    Saudades…………..

    Beijossssssssssssssss.

    PS: O que será essa bandeira do Brasil ? Só tinha o Brasil ou mais países ??

    • L.

      Com certeza me lembrou MUITO Bragança, principalmente os chão com azulejos quebradinhos :D

      Acho que o dono do bar era brasileiro, normalmente é isso que acontece. Só vimos essa mesmo, eu sempre tiro fotos quando vejo a bandeira em lugares inusitados ;) Saudades mil pai, beijos!!

  • Cris

    Que varanda foi essa??? Acho que eu poderia ficar ali o dia todo só olhando a paisagem!

    Todas as fotos estão demais! E que coincidência msm com a foto!!!

    Baci ;-)

  • L.

    Não é o máximo! :-? Olha, ficamos nessa varanda mais do que deveríamos ao invés de ir passear, mas foi muito difícil mesmo resistir viu? Baci!

  • Luciana

    Atrasadíssima, mas antes tarde do que mais tarde! Lindas fotos, belo relato! Não sei dizer do que gostei mais… Deu vontade de conhecer tudo! Adorei as comidinhas, as flores, as paisagens… A foto coincidência também foi demais! Impagável a vista do quarto de vocês! ? tudo que precisamos, nessa vida!

    Beijos… Quero um cornetto também! ;0)

Leave a Reply