Terra Brazilis I

Três semanas passaram muito mais rápido do que os meses que esperei para poder retornar ao aconchego. E meu aconchego é a convivência da minha família, e dos amigos com os quais tive que aceitar um relacionamento de longe há 9 anos atrás.

No começo demora sempre um pouquinho pra eu me encaixar de novo. De 24 a 48 horas em média. Não sei se é o fuso horário, o cansaço do vôo, ou simplesmente aquela sensação de quando se volta de férias do trabalho e você esqueceu a senha do computador, ou “o que era mesmo que você tinha que fazer?”. Sempre tive isso quando retornava de férias na escola também. Sem saber muito onde foi que paramos na lição, eu sempre tive esse sentimento meio de perdida.
O vôo foi bem bacana. Decidimos desembolsar a – relativamente – pequena difer£nça e pegamos o assento no Economia Plus da British Airways. Mais espaçoso e com reclínio de banco maior. Eu fui no que é julgado o melhor assento do avião, mas achei que o vento gelado no meu pé atrapalhou o sono. Terminei de ler “To kill a Mockingbird”, assisti Cisne Negro e A Rede Social (farei o post sobre eles depois). Assisti The Big Bang Theory e dormi umas duas horinhas (entre cochilos). O vôo foi o mais tranqüilo que tive até hoje, em questões de turbulência, e de ser servida pela equipe de bordo. Achei que valeu a pena ter pago mais, e estou tranqüila por ter pago a mesma classe pra quando voltarmos em Dezembro – sim, a próxima volta ao aconchego já está marcada!

Saindo do portão de embarque, tive que esperar meus pais chegarem. Eles – como meio até de costume, porque meu pai d-e-t-e-s-t-a acordar cedo e vôos de Londres chegam todos entre 5 e 6 da matina – chegaram depois que eu saí do portão. Claro que eu preferiria que eles estivessem lá pra me receber, mas depois de uns minutos o nervosinho estressado acentuado pelo stress do vôo passou e depois de verificarmos aonde o câmbio valia mais a pena, trocamos o dinheiro que eu trouxe e viemos pra casa, e eu já estava toda de volta pro colo deles.

O carro que me esperava no estacionamento ainda era o mesmo Corsinha cinza-prata-grafite-escuro de 11 anos, que vendi pro meu pai quando fui pras Zoropa. Todos os pleitos para que ele trocasse o carro antes de eu chegar foram em vão, mas vamos que vamos.
Cheguei em casa e vi o que a mudança do meu irmão de retorno ao ninho aprontou. Estava tudo meio de perna pro ar. Mas minha cama de solteira e o quarto que dividi com ele e minha irmã por 26 anos estavam prontinhos pra minha soneca.
Soneca essa que não veio. Eu temei em ficar de pé. Tomamos café da manhã. Já na fase 1 do regime – que comecei com minha mãe para incentivá-la a entrar na dança também – e comemos queijinho branco, com mortadela light e iogurte =D Nada de pão de queijo, pelo menos por enquanto =P~

Fui buscar Gigi na escolinha, mas depois do almoço o sono e tontura bateu pesado. O corpo não queria saber de ficar de pé não, e no embalo do cochilo da tarde de Gigi, dormi até as 5 da tarde, apesar que ela mesma acordou bem antes!
Nas próximas duas semanas, me empenheei em colocar o apartamento da minha mãe em ordem. Não sei se já contei mas ela é síndica do prédio (que na verdade são 4 no total), além de dona de casa à moda antiga: tem que cozinhar, passar, limpar, comprar, enfim, faz tudinho!! Então o que ficou meio de lado nesses últimos meses, devido à vinda de meu irmão e rolos do condomínio, foi a arrumação.

O apartamento estava limpinho, claro, mas tudo fora de lugar e muita coisa que se podia jogar fora.
Arregacei as mangas e fui pra labuta. Duas semanas de separa daqui, enpacota dali, joga fora mais um pouco, praticamente sem parar mas com algumas pausas para irmos a feira de rua, e à academia de manhã. Três vezes por semana, hidroginástica, que é o que minha mãe adora fazer. Fui com ela porque gosto também e para ter certeza que ela pegaria esse hábito antes de eu ir embora, e eu espero que ela continue!! Ela merece esse tempinho de lazer gostoso e para sua saúde é muito importante.

Também teve pausas para irmos às lojas. Fomos na 25 de março, na minha parada habitual para renovar as bijouterias. E nas lojas do bairro para comprar besteirinhas. E visitar a minha avó (a única viva) na Praia Grande. Passamos uma tarde gostosa de fofocas e colocar a conversa em dia. Fui no médico e no dentista, mas dessa vez a bronca foi só do médico mesmo, por ainda estar acima do peso!

Também fui na missa, na sessão espírita e na procissão com a minha mãe. Eu faço questão de ser companheirinha da minha mãe nessas coisas, já que normalmente ela faz essas coisas sozinhas. Mr. W também foi na procissão, que apesar de ser ateu, gosta de cerimônias do folclore brasileiro!

Sky over São Paulo
Sky over São Paulo

Flagrante do céu em uma tarde de outono Paulistana. Sempre tenho umas surpresas dessas!

Aliás, devido ao lerê lerê, o acesso a internet ficou escasso, e as duas primeiras semanas passaram voando, e voando também chegou Mr. W. Dessa vez pegamos ele no portão correto (o ano passados esperamos no portão errado, e o coitado ficou esperando mais de 2 horas pela gente :"> ) e ainda vi Zeca Camargo que foi super simpático.

No dia seguinte nós dois embarcamos para a Colônia de Férias do Banespa, o qual tenho sorte de usar, porque minha mãe foi funcionária do Banespa por 30 anos! É um hotel simples, mas com uma localização de babar, para ir para o mar de Astúrias é só atravessar a rua, tem uma vista maravilhosa do mar, café da manhã, almoço e jantar deliciosos e incluínos na diária. Único empecilho é que a piscina estava em obras, mas o empecilho mesmo foi só pra mim, porque Mr. W só queria saber do marzão mesmo.

Ficávamos na praia de manhã, das 10 ao meio-dia mais ou menos. Daí era almoço, assistir umas temporadas (Monk ou Damages), cochilar, e ir dar um passeio a pé pela Orla. Tudo regado a muita leitura de livros, outro passatempo favorito de nós dois. Foram 4 dias de muito calor, muito mar, mas pouco bronzeado. Foi tudo muito regado a protetor solar e sombrinha do guarda-Sol porque os dois sem ver Sol por um ano, não somos muito chegados a uma queimadura não!

Na volta, passamos por Santos e paramos na Vila Belmiro (pena que não tinha o telefone de @flaviacurci para tentar marcar alguma coisa!!) e mais um estádio visitado por Mr. W que como todos sabem é tão fanático por futebol quanto eu. Também teve paradinha rápida na Dinda (minha vó e madrinha) de novo, porque ela fazia tanta questão de ver Mr.W quanto ele de ver ela! Comemos sanduíches de frios com mini pudim de leite comprados no supermercado para ganhar mais tempo conversando e menos tempo esperando a comida chegar. E sim, depois que Mr.W chegou, joguei a dieta pela janela porque não sou de ferro né!!

Descansamos a Sexta-feira santa em casa com um bacalhau delicioso que minha mãe fez pra gente e vídeos alugados (assistimos Gol 2), e Sábado fomos pra Bragança Paulista, berço dos meus pais, e onde tenho tios e primos ainda. Vi as duas tias queridas – que sempre batem cartão em me ver – as primas fofoletas, incluindo Carol, a que sempre passa por aqui >:D< e os tios queridos, que sempre batem cartão também. A família está passando por um momento complicado, mas com 6 irmãos no total, hoje em dia nós os sobrinhos já aprendemos que eles que são grandes que se entendam :> Fiquei chateada com duas primas que me viram na rua e fingiram que não conheciam, me surpreendi, porque são filhas do tio que bate cartão quando eu vou, e até onde eu saiba, não fiz nada para provocar tal reação. Mas não tem problema não, porque já me acostumei até com essas doidices da família também. Na volta de Bragança assistimos Bezerra de Menezes e Trair e Coçar é só começar. !

Hoje teve churrascaria, e matamos a saudade da comilança :P Nem bronca do médico me segura! (se bem que lembrei do vegetariano Mauro :-? ) Na volta assistimos Toy Story 3 – vou escrever sobre tudo que assistimos depois em um post separado.

Temos mais uma semana pela frente, que provavelmente será recheada de passeios turísticos e mais história pra contar depois que eu já estiver do outro lado do oceano a não ser que dê um tempinho por aqui de novo. Boa Páscoa a todos!!

——
PS: Maioria das fotos ficou na máquina de Mr.W que não trouxe o cabo de transferência. Depois se conseguir as incluo, senão fica pra outro post quando estiver de volta na Terra da Rainha!

0 clique(s)

Como foi de Natal e Ano Novo?

Opa, a boa blogueira ao blog retorna. Mil coisas acontecendo e se resolvendo, mas tudo pro lado positivo, sempre!
E claro que não posso deixar de contar como foram as festas por aqui. Tudo lindo como sempre nessa Terra da Rainha, onde tudo é charmosinho nesse frio aconchegante.
Os planos eram a gente conseguir ver os amigos e depois partirmos pra Southampton pra casa dos pais de Mr.W mas a neve literalmente melou os planos, e tivemos que ir direto pra ‘Sóton’ pra não corrermos o risco de não conseguirmos chegar lá!

page1
page1

Pela primeira vez fui a um Christmas Carol (Coral de Natal). Foi bem pobrezinho, mas super bacana e me diverti muito. Como foi na noite do dia 24, que normalmente eles não fazem nada, ficou mais especial pra mim, que ainda sinto um pouco de falta da festança na noite de Natal :) Durou uma hora mais ou menos, num frio de rachar, mas valeu a pena. Guardei o livrinho de músicas, um dia desses posto sobre elas, porque o assunto rende que é uma beleza.

page3
page3

Mãe de Mr. W mandou muito bem na decoração como sempre. E um dos motivos da gente ter ido pra lá, foi pra ver as vózinhas de Mr. W também. Elas já são bem avançadas na idade, e moram relativamente longe de Surrey e Sóton. Uma das vózinhas tem Alzheimer mas estava super bem no dia, falante e sorridente. A outra vózinha é super lúcida, e um amorzinho de pessoa pra sentar e conversar. A última vez que as vimos foi no Natal de 2009, então não queríamos deixar passar a oportunidade, né?

page2
page2

E aqui é meio que tradição jogar algum jogo de família no dia de Natal quando todo mundo já está cansado de comer. Jogamos o Thinktangles. Um jogo bem bacaninha, onde você tem que achar uma imagem específica no meio de um monte de cartas com diferentes imagens! E jogamos o Trivial Pursuit edição de 19-e-lá-vai bolinha. Esse jogo é questões de conhecimentos gerais, e no final estavámos tão cansados, que começamos a soprar dicas pra quem era a vez, e o jogo virou uma farra!

page4
page4

E como não poderia ser diferente, comemos muiiito. Dessa vez a mãe de Mr.W comprou tudo pronto, de uma das lojas mais chiques de fornecimento de comidas para festas. Estava tudo divino! Apesar de aqui eles comemorarem o Natal no almoço do dia 25, a Dona J. fez uma ceia a noite pra mim, pra quando voltamos do coral. Para a ceia – que era para ter sido algo singelo – teve torta de veado (gostei, é bem gordurosa a carne, uma mistura entre carne de porco e de boi) com cranberries (uma espécie de cereja bem ácida), salmão defumado, seleção de queijos ingleses, compota de lagosta (que eu amei e comi tanto que eles me deram pra trazer o que sobrou pra casa) e batatas assadas. De sobremesa, teve Trifle, que é feito em três camadas. Uma camada bem fininha de bolo, uma de gelatina com pedaços de frutas, creme inglês e chantilly. Amo!
Na foto da mesa acima, vocês podem ver os crackers também, que estouramos no almoço do Natal, e dentro dele tem brindes, piadas e um chapel de papel crepom em forma de coroa pra todo mundo vestir na mesa e se sentir a família real :D
Os presentes são trocados na manhã de Natal, ou depois do almoço. Esse ano fizemos depois do almoço, mas antes ganhei as stockings que são aquelas meias de Natal que vimos nos filmes. A mãe de Mr W encheu ela de presentinhos fofos e deixou na porta pra gente pegar quando acordamos.

page5
page5

Passamos 3 dias lá, incluindo o Boxing Day que é o feriado depois do dia de Natal aqui na Inlgaterra. Dia 26. Como caiu em um final de semana, os feriados foram empurrados pra Segunda e Terça. Voltamos pra casinha pra aproveitamos um pouco aqui também. As decorações na foto de cima, são daqui :) Até os instrumentos de música entraram na dança.

SAM_2420
SAM_2420

O relógio de Bacon e Ovo foi uma das primeiras coisas que pensei em comprar quando compramos a casa nova. Mr. W me deu de Natal! :D/

page6
page6

“E Natal não é Natal sem RadioTimes”. Então, todo ano compramos a revista que vem com o guia de televisão das semanas entre Natal e Ano Novo. É meio que uma tradição no Reino Unido e todo mundo pega a sua cópia assim que sai quentinha. A nossa veio um dia antes do Natal, mas tá valendo :P
Alguns têm violetas, mas eu tenho Amarilis na janela. E acreditem se quiserem, mas compramos dois dias depois de nos mudarmos pra cá em Outubro e a primeira flor saiu no dia de ano novo! Ela já está gigante e com 4 flores! Amo minhas plantas :)

Por falar em ano novo, foi super bacana também. Como as meninas estão com bebezinhos e estavam cansadonas, a gente optou por irmos na casa de um dos amigos do Mr. W. A gente quase não vê eles, e uma das metas desse ano pra mim é reaproximar a tchurminha e me rodear de gente pra dar risada e jogar conversa fora. Foi uma delícia. Teve brinde com champagne e fogos no quintal (super raridade aqui, e apesar de não gostar do barulho dos fogos, me fez matar a saudade da celebração brasileira). Teve muitas risadas e conversa jogada fora. Também um saldo de mais 2 finais de semana seguidos de coisas pra fazer com eles – dois aniversários – um que já passou e um sábado agora :)

E no dia 3, que também foi feriado, pelo ano novo ter caído no Sábado, vimos as meninas e as bebês fofoletas, num restaurante Rodízio Brasileiro, o Rico, tava gostosinho mas sentimos falta da salada de batata com maionese pôxa!

Meta atingida! E mais metas sendo planejadas e concretizadas. Eita começo de ano bão sô!

0 clique(s)

Era uma casa muito encantada…

…não tinha internet não tinha nada, ninguém podia sentar pra ver TV porque sofá nem cama não tinha ali   :-"

A mudança começou lá pro dia 1o de Outubro, quando encarnei a Mônica do friends e comecei a empacotar as nossas coisas, e com o tempo a empacotação foi ficando cada vez mais acirrada, e o tempo pra terminar, cada vez mais apertado.

Na sexta dia 22 de Outubro de noitinha, hora da verdade chegou. Carregamos os artigos mais pesados do meu apê, passadinha básica na Ikea (que fica de assunto pra um post futuro) e descarregar tudo no cafofo novo, volta pro apê de Mr. W. Cama às quase 2 da matina.

Dia 23 de Outubro afobado. Corri pegar as últimas coisas pra mudança e comprar quitutes pras almas caridosas que conseguiram vir nos ajudar, Mr. W corria pra desmontar os últimos móveis que iríamos levar, os outros já tinham partido pra caridade.

Carregamos a van alugada e que cheirava a cachorro molhado, entuchamos os carros de QC e dos pais de Mr. W, e enquanto isso a mãe dele esfregava a cozinha, deixando tudo brilhando pra entrega do apartamento que foi cenário do primeiro jantar de muitos outros magavilhosos que Mr. W viria a cozinhar pra mim. E lá fomos nós, rumo à ensolarada Surrey, novo charmoso canto escolhido para nos abrigar.

No caminho, MG avisou que estava se mandando pra lá também pra conhecer a nova “cave” e ajudar no descarregamento dos pertences de Mr. W. E speed-weez chegaram lá antes da gente!

Enquanto super mãe de Mr. W. fazia o chá e lanchinhos pra galera faminta, os rapazes traziam as caixas pra dentro, eu levava pros quartos conforme a etiqueta na caixa manadava. Q e M colocavam a conversinha em dia. M se preparando pro nascimento de Vicky (que nasceu dia 12 de Novembro 8-> ) e Q contando as peripécias de Laurinha.

Quando vimos já era noite. Dessa vez não teve jantar básico de mudança já tradição da turma, pois no dia seguinte eu e mãe de Mr W. iríamos correr 16 Km, então Mr. W e eu  resolvemos dormir em Southampton, pois seria mais fácil acordar de manhã e pegar o trem pra corrida tão fatídica (que fica pra um post futuro também).

E mal podíamos esperar para voltar pro cafofo na segunda de manhã. Passamos a noite no colchão inflável, presente de  dos pais de Mr. W, até o dia seguinte quando a cama e o sofá xiquetosos chegaram. E na mesma tardezinha, de repente o estrondo na cozinha, e sem ver nada que tivesse caído, subimos as escadas, procuramos ver se algo tinha despencado no quarto de cima, e nada. Alguns 30 minutos depois, Mr. W desceu as escadas e percebeu que os armários da cozinha estavam meio desalinhados. Na hora, telefonamos o pessoal de suporte da casa (coisa chique que vem com casa novinha em folha) toca esvaziarmos os armários e em 15 minutos veio o rapaz da construtora, olhou, esfregeou o queixo e disse que ia chamar o povo da cozinha.

E lá vem o povo da cozinha, e dá o veredito final. Teriam que tirar a unidade da parede pra trocar porque ela não tinha sido presa direito. Ficamos só tranqüilos que não tinha machucado a gente nem a casa muito encantada.

Foi o primeiro e último perrengue do novo lar. Depois disso, só coisinhas pequenas pra arrumar, tipo azulejo colorido que esqueceram de colocar no banheiro, trocar peça do piso da cozinha que ficou com marca de bota do pedreiro (problemas esses que já foram resolvidos) e mais uma listinha de coisas que mandei pro setor de reclamações (u-hu!) mas que deve ser resolvido logo.

Precisamos de mais umas 7 viagens (só de carro) do meu antigo apê até aqui pra terminar de trazer tudo. Mas o baterista da banda de Mr. W nos livrou de mais umas 7 viagens por nos ter nos ajudado com o carrão-perua dele em uma noite fria, em que me perdi enquanto ele me seguia. Naquela noite fomos dormir às 2 da manhã e o coitado ainda acordou às 6 da matina pra ir trabalhar. Mais uma alma caridosa pra lista!

Daí começamos a briga e o stress pra conseguirmos telefone e internet. Tá achando só porque é naseuropa tudo acontece rapidinho e do jeito que deveria ser? Na-na-na…

Por ser uma casa nova, não estamos nem no mapa ainda, então foi um stress danado e demoramos 6 semanas pra conseguirmos a ligação da linha de telefone, e a internet só veio mais 5 dias depois. Camelei de novo tendo que ir pro escritório trabalhar (sim, sim, pra quem não sabe, trabalho normalmente de casa) – mas acabei gostando da turma de lá e assim que a temporada da neve passar, verei se vou mais vezes encontrar os rapazes (sim, sim, pra quem não sabe, escolhi pra minha carreira um setor que mulher é raridade!).

A casinha encantada continua com muitas caixas espalhadas, esperando pelos móveis dali chegarem.

E minhas artes que quero espalhar pra colocar mais um carimbo nosso nesse cantinho do mundo que chamamos de nosso e que nos faz tão felizes.

Mas como diz Q , esse trabalhinho meio que nunca termina, então com certeza ainda vai render muito pano pra manga desse blog ;)

0 clique(s)